MUROS
ESTRANGEIRO
TERRITÓRIOS
POLÍTICA
ECONOMIA
SOCIEDADE
SONS
IMAGENS
TEXTOS
FILMES

Fronteira - sítios
O Programa Sítios parte de uma pergunta:
Como se pode observar e caminhar por lugares virtuais e físicos?

Fronteira
Fronteira é a temática que tem motivado e articulado o programa de educação eu sou paisagem, desde 2016…
Como é que as fronteiras (políticas, físicas e geográficas…) afetam os seres humanos e não humanos que constrõem as paisagens?
Que tensões se encontram na pesquisa e nos modos de intervir em relação às fronteiras de classe, género e de raça?
Estas parecem-nos questões muito importantes para um programa de educação que se dedica ao território e à paisagem, nos anos 20 do século em que vivemos.
PROGRAMA DE ATIVIDADES (Versão online)
PROGRAMA DE ATIVIDADES (Versão impressa)

Fronteira
O estrangeiro é primeiramente estrangeiro à língua do direito na qual o dever de hospitalidade está formulado, o direito de asilo, os seus limites, as suas normas, a sua polícia, etc. ele tem de pedir a hospitalidade numa língua que, por definição, não é a sua, a língua que o dono da casa lhe impõe, o hóspede, o rei, o senhor, o poder, a nação, o estado, o pai, etc. este impõe-lhe a tradução na sua própria língua, e é a primeira violência.
A questão da hospitalidade começa aí: deveremos nós pedir ao estrangeiro para nos compreender, para falar a nossa língua...

Jacques Derrida, Da Hospitalidade. Viseu: Palimage Editores, 2003, 34

PROGRAMA DE ATIVIDADES

Fronteira
Este mapa mundo é uma projeção de Gall-Peters. Este modo de representar o mundo foi criada por James Gall em 1885 e só foi retomada, nos anos 70 do século XX por Arno Peters. As representações do mundo normalmente usadas são baseadas na projeção de 1569 do cartógrafo G. Mercator. A projeção de Mercator, pela qual quase todos aprendemos a identificar os continentes, os oceanos, os países, respeita a forma dos continentes, mas não os tamanhos. Assim quer a Europa, quer a América do Norte são maiores do que realmente são e a África parece menor do que realmente é, quando na realidade física tem o triplo da extensão da América do Norte (e é quatorze vezes maior que a Gronelândia), ou por exemplo, o Alasca ocupa mais espaço que o México, embora seja menor.
O mapa é um convite que aqui lhe deixamos para interrogar as imagens e representações dos territórios que temos como “únicas” ou “verdadeiras.”
PROGRAMA DE ATIVIDADES

Fronteira
Neste território as marcas das divisões territoriais e da presença (histórica e atual) do Estrangeiro são muito evidentes na paisagem.A marca fortíssima da vinha e da oliveira, tão caracterizadoras das culturas do Mediterrâneo, implicam uma atenção às convulsões humanas que nele assistimos nos últimos anos.
PROGRAMA DE ATIVIDADES (PT)
PROGRAMME (EN)
MOSTRA EM CARTAZES

Ficção-Matéria
FICÇÃO implica MATÉRIA. Durante todo ano o sinal => implica serve para interpelar as paisagens e as pessoas. Uma implicação no que se faz. Como inventar matérias para mais ficções. E com a ficção …que matérias se criam?
PROGRAMA DE ATIVIDADES
MOSTRA EM CARTAZES
FILME
Matéria-Ficção
Uma paisagem é sempre uma construção enamorada e tensa entre matéria e ficção, entre solo, vento, expectativa, desejo, entre experiência e gesto repetido.
O sinal matemático de equivalência <=> instala a procura do que é assimétrico, o que o fica fora da equivalência, o que sobra.
PROGRAMA DE ATIVIDADES
CORPO CRIADOR DE PAISAGEM
TEASER
FILME PARA MOSTRA
Bios Cartas
CARTAS DA PAISAGEM E DA LIBERDADE

Que relações existem entre liberdade e paisagem? Em que lugares nos sentimos livres? E quais são os que nos enclausuram ou nos tiram a liberdade? Que características têm estes diferentes lugares? Onde é que gostamos de correr, de caminhar, de sentar, de parar, de ver e olhar, de contemplar?
No ano de 2014, o 25 de abril comemora os seus quarenta anos e procuramos a liberdade. Procuramos as liberdades. E procuramo-las também nas paisagens.
PROGRAMA DE ATIVIDADES
PUBLICAÇÃO
FILME
CARTAS
Bios Segredos
O que não se vê logo. O que não se ouve à primeira. O que não se cheira de imediato. O que não se saboreia com a pressa. O que não se toca porque se estranha. O segredo e o(s) poder(es) as suas marcas evidentes de separação nestas e noutras paisagens.
PROGRAMA DE ATIVIDADES
PUBLICAÇÃO
FILME
Biografia e Identidades
A criação de biografias é aqui entendida como um modo de criar e refletir sobre a realidade de hoje pensando e agindo com as vidas entrelaçados das pessoas nas paisagens. O ato de contar a vida de uma pessoa, de um objeto, de uma planta ou animal permite perspetivar singularidades e necessariamente interrogar o seu tempo e o tempo histórico. Da fauna à flora, às tipologias das paisagens, a tensão entre novo e antigo, entre memória e futuro. E que modos para grafar BIOS sem ser através da escrita?
PROGRAMA DE ATIVIDADES
PUBLICAÇÃO

2X Espelhos e Identidades
‘E de tudo os espelhos são a invenção mais impura’.
Herberto Hélder

O 2x – espelhos confronta-se entre estas duas afirmações. Interroga modos de ver e modos de representar corpos e lugares, através da imagem especular. O centro é a pessoa, os modos como esta se vê, se relaciona consigo, com os outros e com os lugares em que vive.
PUBLICAÇÃO Meu Douro
‘O Douro tornou-se uma terra com excesso de identidade que oscila entre o genérico e o postal’.
Álvaro Domingues

Criar uma capsula, um relicário de lembranças ou imaginários – as construções da identidade do “Douro” – rio, terra, marca – possibilidades para desmontar, rever, re-olhar o que se identifica, o que se repete, o que se cristalizou no tempo, o que fugiu ou ficou rio abaixo ou rio acima.

PUBLICAÇÃO
FILME

O Espaço
Num futuro próximo, dentro de 10 a 15 anos, as crianças e jovens que contactaram com as atividades deste projeto estarão na vida ativa, terão os direitos e deveres de uma cidadania portuguesa e europeia. Como serão os espaços que os envolvem? E sobretudo como olharão e atuarão sobre esses mesmos espaços? Como será lido o território, o mundo e o universo Como se configurará a vida nesta região do Douro ou noutras regiões onde viverão estas crianças e jovens? Estas são algumas das questões que percorrem os espaços próximos e distantes deste projeto em conjunto.
PUBLICAÇÃO

Projeto Água
Os dois anos do projeto envolvem a presença da agua neste território cujo nome é dado por um rio. Como se vive e se pode vir a viver, como se imagina e o que se quer projetar sobre um elemento comum entre humanos e mais que humanos, entre pessoa e paisagem?
PROGRAMA DE ATIVIDADES
Café Central
Todas as terras tem um (ou mais) café central. Este é um programa para estar com as pessoas nos lugares de encontro e de estar que são os cafés.
Fotografia | Paula Preto
Paisagem e Cinema
O Espírito da Colmeia, Vítor Erice, 1973
Experimentar e pensar a paisagem tem uma relação incondicional com o cinema.
Procura-se, aqui, implicações da ficção cinematográfica na construção dos lugares.

FILME

Registar em som espaços de parar nas paisagens.
Nestes percursos procura-se experienciar as paisagens de modo a alargar a consciência de todos os sentidos envolvidos neste espaço e neste tempo.
* Este programa resulta de uma parceria entre a UTAD e o Museu do Douro.
Mestrado em Arquitetura Paisagista e o Serviço Educativo.
Ler Debaixo de uma Árvore
Este programa propõe um mergulho na leitura (sempre que a meteorologia o permitir) em árvores importantes no caminho, nos lugares e para as pessoas.
Instalar Leituras
Instalar Leituras em diferentes espaços da escola e em outros locais dos lugares onde se vive
Residencial Veiga
As residenciais são lugares de passagem num território em que a circulação de pessoas, bens – dos trabalhadores da vinha aos turistas nacionais ou estrangeiros – é uma das características da vida nesta região. Este programa arranca na Horta da aldeia da Veiga, em Santa Marta de Penaguião.
BLOGUE DO PROJETO

Oficinas 2+1
PROGRAMA DE OFICINAS
O registo possível das pesquisas e ações realizadas são o motor desta linha de trabalho essencial deste programa: editar para criar ação e reflexão. O Serviço Educativo edita documentos sínteses para cada um dos projetos (e outras atividades como seminários e palestras) que realiza com o intuito de registar, refletir, avaliar e disseminar as propostas de trabalho a outros contextos em paralelo com a pesquisa sobre uma arqueologia do realizado.
IMMER 2019
  • IMMER #2 2019
  • Cartas da Paisagem e da Liberdade 2013 e 2014
  • Paisagem: Matéria= Ficção - Seminário pluridisciplinar 2015
  • Bios – Segredos. Projeto Anual 2012 e 2013
  • Modos de Usar. Núcleo de Pão e Vinho de Favaios - 2012
  • Bios – Biografias e Identidades. Projeto Anual 2011 e 2012
  • 2x Espelhos e Identidades. Projeto Anual 2010 e 2011
  • Meu Douro. Projeto Anual 2009 e 2010
  • O Espaço. Projeto Anual 2008 e 2009
  • Água. Projeto Anual 2007 e 2008 (CD-ROM)
  • Postal Torga. Projeto Anual 2006 e 2007 (CD-ROM)
Bios Biografias - EDP Bios Biografias - EDP